Atualidade, Brasil

Conhecendo o Vale Europeu

Feriadão de aniversário de São Paulo e mais uma oportunidade de colocar os pés na estrada! Ou melhor, nesse caso, nos ares! 🙂

Dessa vez me aventurei com os meus pais para conhecer algumas cidades que fazem parte do Vale Europeu em Santa Catarina.Resolvemos nos hospedar em Blumenau e de lá visitaríamos as outras cidades. Reservamos o hotel pelo Booking, nos hospedamos no Hotel Glória. Excelente custo-benefício!

O Hotel Glória está localizado bem no centro da cidade. Várias coisas por perto. De Uber até a Vila Germânica, onde acontecem os eventos da cidade (incluindo Oktoberfest), fica em torno de R$ 8.

O café da manhã deles é o mais comentado nas avaliações sobre o hotel… rs. Delicioso! Gente, que saudades daquele café da manhã! O forte deles são as tortas, só de lembrar já me deu água na boca!

Mesa com várias tortas doces!

Não deixem de provar a Torta Glória, é simplesmente DIVINA! Se prepare para ganhar alguns quilinhos extras…rs

Uma coisa que eu amei quando vi foi o elevador, ele é acessível para deficientes visuais! Achei o máximo! Acessibilidade difícil de se ver em hotéis. O elevador fala o andar e os números são em alto-relevo e braile. Falando em acessibilidade, eles também possuem quartos adaptados para cadeirantes.

O Vale Europeu fica no Vale do Itajaí e possui como característica marcante a herança cultural dos seus colonizadores: alemães, italianos, austríacos, poloneses e portugueses.

São 22 municípios que fazem parte do Vale Europeu: Apiúna, Ascurra, Benedito Novo, Blumenau, Botuverá, Brusque, Canelinha, Doutor Pedrinho, Gaspar, Guabiruba, Ilhota, Indaial, Jaraguá do Sul, Leoberto Leal, Major Gercino, Nova Trento, Pomerode, Rio dos Cedros, Rodeio, São João Batista, Tijucas e Timbó.

Visitamos Blumenau, Pomerode, Brusque e Botuverá.

Irei falar o que achei de cada cidade e os principais pontos turísticos que visitamos.

 

⇒ Blumenau

Visitamos a Catedral São Paulo Apóstolo, um dos principais cartões postais da cidade. Ela foi inaugurada em 1958 substituindo a antiga igreja do local. Em seu interior, próximo da entrada, existe a estátua do Papa João Paulo II. No fundo da igreja encontra-se uma gigantesca rosácea com 8 metros de diâmetro e rodeada por 20 menores, é um trabalho de cantaria incrível, como se estivesse dizendo que a força da fé pode até retorcer o granito!

O Museu da Cerveja é bem interessante! Lugar bem adequado para ter um Museu da Cerveja né? Rs. A entrada é gratuita e funciona todos os dias, o horário de funcionamento depende do dia da semana.

Foto noturna, Mellina está em pé com o braço direito levantado apontando para a placa que está escrito Museu da Cerveja

Eu não imaginava que a cerveja já era consumida desde antes de Cristo! Analisando todo o maquinário e o processo para a produção da cerveja fiquei pensando, como descobriram todo o processo de fermentação, da cevada, do lúpulo e etc? Muito complexo! rs

Além do Museu da Cerveja, na Praça Hercílio Luz tem o Marco dos primeiros imigrantes, o Monumento Voluntários da Prata, o Bear Garden e o monumento com Poema de Lindolf Bell.

Na Praça Victor Komber está o Relógio das Flores, ele foi inaugurado no ano 2000 em comemoração aos 150 anos de Blumenau e funciona a energia elétrica, sendo o único no estado. São 5 Relógios Florais em todo o Brasil.

A Prefeitura Municipal de Blumenau foi inaugurada em 1982 no local onde funcionava a sede da antiga estação ferroviária. Sua construção é uma imitação da técnica enxaimel, inspirada nas edificações do período colonial.

Na mesma praça onde fica a Prefeitura, Praça da Macuca, podemos encontrar a primeira locomotiva de Blumenau, a Macuca, ela foi importada da Alemanha em 1908. O apelido Macuca foi dado devido a ave Macuco por causa da semelhança do seu apito com o piar da ave e o som da descarga de sua caldeira parecia com o som produzido pelo bater das asas.

A Rua XV de Novembro é a principal da cidade, ela foi a primeira rua calçada em Santa Catarina no ano de 1929. É palco dos desfiles da Oktoberfest, das comemorações dos aniversários de Blumenau e do Stammtisch.

O Castelinho da XV foi construído em 1978, pelo empresário Udo Schadrack, de família tradicional blumenauense, é uma réplica da prefeitura de Michelstadt, cidade localizada ao sul da Alemanha. Hoje funciona a loja HAVAN.

Nos decepcionamos um pouco com Blumenau, achei que a cidade estava meio abandonada. Poucas pessoas nas ruas e nos pontos turísticos, talvez seja pela época. Com certeza a cidade lota bem mais na época dos eventos, principalmente na Oktoberfest.

 

⇒ Pomerode

Cerca de 70% da população de Pomerode fala somente o alemão, é por esse motivo que Pomerode é considerada a cidade mais alemã do Brasil. 😉

Um dos passeios mais conhecidos em Pomerode é a Rota do Enxaimel. Fomos 2 dias a Pomerode, no primeiro dia fizemos tudo de carro e preciso dizer que a rota foi um pouco sem graça, passamos pelas casas como se fossem casas antigas, sem saber de suas histórias. Depois resolvemos fazer o trajeto de Jeep, a empresa responsável pelo passeio é a Pomerode Jeep Tour. Fazer a Rota do Enxaimel com um guia explicando toda a história de Pomerode e de suas casas fez toda a diferença! O Ronald nos deu uma excelente aula de história! Enquanto ele contava os acontecimentos do passado eu ia criando todas as imagens na minha cabeça, como se eu voltasse ao passado, sensacional!

O único vídeo dessa viagem foi o da Rota Enxaimel, conheça um pouco mais sobre ela assistindo ao vídeo!

*Em breve estará no Youtube

No Museu Casa do Imigrante podemos ter mais contato também com uma casa típica enxaimel. Foi a última moradia do imigrante pomerano Carl Weege. A localização original não era onde está hoje, o curioso desse tipo de casa é que ela pode ser desmontada e reconstruída em outro local. Reparem que cada “peça” da casa existe um número em algarismos romanos, isso serve para encaixar as peças depois como se fosse um quebra-cabeças, dessa forma você pode reconstruir a casa em qualquer lugar, achei isso muito curioso! No Museu você encontra móveis antigos, rota d´água, rancho com moenda de cana-de-açúcar, prédio da atafona (moinho de fubá de milho) e a Praça Lauro Guenther.

Uma pena que o tempo estava fechado, tudo fica muito mais bonito com o céu azul né? 😉

Visitamos o Morro Azul, de uma vista linda! É uma boa subida para chegar até o topo, estava vazio no dia que fomos, tinha apenas jardineiros cuidando das plantas.

O Morro da Turquia não apreciamos muito. O Morro Schmidt é bem conhecido por sua bela vista de pôr-do-sol, mas não fomos até ele.

Estávamos com um carro 1.3, ele sofreu um pouco nos morros…

A fábrica da Porcelana Schmidt se encontra em Pomerode. Os preços são parecidos com os vendidos em loja, o diferencial são as peças de segunda linha que ficam mais ao fundo da loja, aquelas que não foram aprovadas no controle de qualidade, mas muitos os defeitos são imperceptíveis.

Darei duas dicas de restaurantes, um típico alemão e outro italiano.

O Restaurante Funiculi Funicula é um restaurante tipicamente italiano, é servido rodízio de massas e a la carte. O carro chefe é o Gemelli alla Vodka, massa com molho rose, panceta e Vodka, uma delícia! O restaurante também está em Blumenau, além de massas também tem pizza, e segundo o proprietário, que é italiano, todos os ingredientes são importados direto da Itália! NHAM NHAM!

Endereço: Rua Hermann Weege, 243

Se você quer experimentar uma comida tipicamente alemã o Siedlertal fica na mesma rua do Funiculi. O prato típico é o marreco recheado.

Em janeiro acontece a Festa Pomerana, uma das mais tradicionais da cidade! Uma pena que ela acabou 3 dias antes de nossa chegada em Santa Catarina. Em julho terá a Festa Gastronômica, uma oportunidade para curtir a cidade em um clima mais frio e de provar as comidas alemãs!

 

⇒ Botuverá

Em Botuverá está localizada a Gruta de Botuverá, a maior do Sul do Brasil com 1.200 metros de extensão. Estima-se que ela tenha 65 milhões de anos, UAU!!

Desde 2005 é proibido fotografar dentro da caverna, o que é uma pena! Busquei uma foto de viajantes que foram antes disso para poder compartilhar com vocês! 😉

Entrar na caverna foi uma sensação indescritível! Fiquei pensando em como a natureza é perfeita! Não consegui enxergar os detalhes, como por exemplo as estalactites (crescem do teto para baixo com formato mais pontudo) e estalagmites (crescem do chão para cima, formato mais arredondado), mas pude tocar em algumas. Escutei o som de alguns morcegos, sim, existem em torno de 7 espécies que habitam a caverna, além dos diversos invertebrados (esses nem notei a presença… rs). Senti a dimensão de cada sala que visitamos, aprendi várias coisas sobre as rochas e sua formação.

A caverna possui 9 salões, mas somente 3 podem ser visitados, sempre com o acompanhamento de um guia.

Dica: ir com tênis velho e roupa leve, lembre-se que irá entrar em um lugar fechado e úmido.

Dica 2: não recomendo a visita para quem tem claustrofobia e medo de insetos.

O ingresso custa R$ 16 por pessoa, os pertences pessoais ficam guardados em um armário. A Hilary não me acompanhou nesse desbravamento, ficou me aguardando na salinha dos armários. 🙂

Na lateral da caverna existe uma mini cachoeira, se faz uma pequena trilha até ela.

A região possui várias cachoeiras que podem ser visitadas.

Endereço: Rodovia SC 486, S/N – Ourinho, Botuverá – SC, 88370-000

Telefone: (47) 3359-1100 / 3087-8387

 

⇒ Brusque

Brusque é conhecida como a capital da indústria têxtil e a capital nacional da longevidade.

Existem duas lojas de atacado e varejo bem procuradas pelos turistas: FIP e Stop Shop.

São como Shoppings da Moda, existem diversas lojas de diferentes marcas no mesmo local com moda feminina, masculina, infantil, cama, mesa e banho. A FIP e Stop Shop ficam praticamente uma em frente a outra.

Endereço: Rod. Antônio Heil, 635

Na nossa opinião, comparando com os preços das lojas do Brás em São Paulo, não compensa, a qualidade das roupas e preços são bem semelhantes.

O Turismo Religioso é muito forte em Brusque. Visitamos o Santuário Nossa Senhora de Azambuja que tem em seu complexo o Templo Religioso, o Museu Arquidiocesano Don Joaquim, o Hospital arquidiocesano Consul Carlos Renaux e a Gruta Nossa Senhora de Lourdes. O Museu estava fechado no dia que fomos.

Ao lado esquerdo do Santuário encontra-se o Morro do Rosário. Durante sua subida é reproduzido os 15 mistérios do rosário: a Anunciação, a Visita a Santa Isabel, o Nascimento em Belém, a Apresentação no Templo, o Encontro no Templo, a Prisão de Jesus, a Flagelação, a Coroação de Espinhos, o Carregamento da Cruz pelo Calvário, a Crucificação, a Ressurreição, a Ascensão, a Vinda do Espírito Santo, a Assunção de Nossa Senhora, e a Coroação de Maria pela Santíssima Trindade.

A Gruta, o Santuário e o Morro do Rosário são pontos obrigatórios para os visitantes de Azambuja.

Brusque é uma cidade bem pacata e tranquila, sem muitos atrativos, meio período é suficiente para conhecer a cidade.

Se você já visitou outras cidades do Vale Europeu deixe aqui nos comentários o que achou, e nos diga qual cidade mais gostou!

“Eu viajo… Você embarca… Juntos outra vez em mais um aprendizado!”

Reserve seu Hotel com a nossa parceira Booking.com!



Artigo anterior

Veja também:

Deixe uma resposta

Comentários